Braga (Braga)

Article

May 19, 2022

Braga (BRAH-gə, Português: [ˈbɾaɣɐ] (ouvir); Proto-Celta: *Bracara) é uma cidade e município capital do distrito de Braga do noroeste português e da província histórica e cultural do Minho. A cidade tem uma população residente de 193.333 habitantes (em 2021), representando o sétimo maior concelho de Portugal (por população). Sua área é de 183,40 km2. A sua área urbana aglomerada estende-se desde o Rio Cávado até ao Rio Este. É o terceiro maior centro urbano de Portugal (depois de Lisboa e Porto). É sede da mais antiga arquidiocese portuguesa, a Arquidiocese de Braga da Igreja Católica e é a sede do Primado das Espanhas. Sob o Império Romano, então conhecido como Bracara Augusta, o assentamento foi a capital da província de Gallaecia.Dentro da cidade há também uma torre do castelo que pode ser visitada. Hoje em dia, Braga é um importante pólo para o interior do Norte de Portugal e é uma importante paragem no Caminho Português da Estrada de Santiago. A cidade também foi a Capital Europeia da Juventude em 2012.

História

Pré-romano

A ocupação humana da região de Braga remonta a milhares de anos, documentada por vestígios de estruturas monumentais iniciadas na era megalítica.

Durante a Idade do Ferro, a cultura castreja estendeu-se para o noroeste, caracterizada pelos povos bracaris que ocupavam as terras altas em povoados fortificados estrategicamente localizados (castrum).

A região tornou-se domínio dos Callaici Bracarii, tribo celta que ocupou o que hoje é o norte de Portugal, Galiza e Astúrias no noroeste da Península Ibérica.

domínio romano

Os romanos iniciaram a conquista da região por volta de 136 aC, e a terminaram, conquistando as regiões do norte, durante o reinado do imperador Augusto.

A civitas de Bracara Augusta foi fundada em 20 aC;

no contexto da reorganização administrativa destas aquisições romanas, Bracara foi rededicada ao Imperador assumindo o nome de Bracara Augusta.

A cidade de Bracara Augusta desenvolveu-se muito durante o século I e atingiu a sua extensão máxima por volta do século II.

No final do século III, o imperador Diocleciano promoveu a cidade ao status de capital da área administrativa Conventus bracarensis, a área sudoeste da recém-fundada província romana de Gallaecia.

Braga na Antiguidade Tardia e Idade Média

Durante as Invasões Germânicas da Península Ibérica, a área foi conquistada pelos Suevos, um povo germânico da Europa Central. Em 410, os suevos estabeleceram um reino no noroeste da Península Ibérica cobrindo a atual metade norte de Portugal, Galiza e Astúrias, que mantiveram como Gallaecia, e tiveram Bracara como capital. Este reino foi fundado por Hermerico e durou mais de 150 anos. Por volta de 584, os visigodos assumiram o controle da Gallaecia dos suevos, e Braga tornou-se capital de província. Braga teve um papel importante na cristianização da Península Ibérica. O primeiro bispo de Braga conhecido, Paternus, viveu no final do século IV, embora Santo Ovídio (d. 135 d.C.) seja por vezes considerado um dos primeiros bispos desta cidade. No início do século V,Paulus Orosius (um amigo de Agostinho de Hipona) escreveu várias obras teológicas que expunham a fé cristã. Graças à obra de São Martinho de Braga, os suevos da Península Ibérica renunciaram às heresias arianas e priscilianas durante dois sínodos aqui realizados no século VI. Na altura, Martinho fundou também um importante mosteiro em Dumio (Dume), e foi em Braga que o Arcebispado de Braga realizou os seus concelhos. Como consequência, os arcebispos de Braga reivindicaram posteriormente o título de Primaz de Portugal, então concelho, e durante muito tempo reivindicaram a supremacia sobre toda a igreja hispânica. No entanto, sua autoridade nunca foi aceita em toda a Hispânia. A transição dos reinados visigóticos para a conquista muçulmana da Península Ibérica foi muito obscura, representando um período de declínio para a cidade. Os mouros capturaram brevemente Braga no início do século VIII,mas foram repelidos pelas forças cristãs sob Alfonso III das Astúrias em 868 com ataques intermitentes até 1040, quando foram definitivamente expulsos por Fernando I de Leão e Castela. Como consequência, o bispado foi restaurado em 1070: o primeiro novo bispo, Pedro (Pedro), começou a reconstruir a Catedral (que foi modificada muitas vezes durante os séculos seguintes). Entre 1093 e 1147, Braga tornou-se a sede residencial da corte portuguesa. No início do século XII, o conde Henrique de Portugal e o bispo Geraldo de Moissac reclamaram a sede do arcebispado de Braga, com poder sobre uma grande área da Península Ibérica. A cidade medieval desenvolveu-se em torno da catedral, com a autoridade máxima da cidade retida pelo arcebispo.o primeiro novo bispo, Pedro (Pedro), começou a reconstruir a Catedral (que foi modificada muitas vezes durante os séculos seguintes). Entre 1093 e 1147, Braga tornou-se a sede residencial da corte portuguesa. No início do século XII, o conde Henrique de Portugal e o bispo Geraldo de Moissac reclamaram a sede do arcebispado de Braga, com poder sobre uma grande área da Península Ibérica. A cidade medieval desenvolveu-se em torno da catedral, com a autoridade máxima da cidade retida pelo arcebispo.o primeiro novo bispo, Pedro (Pedro), começou a reconstruir a Catedral (que foi modificada muitas vezes durante os séculos seguintes). Entre 1093 e 1147, Braga tornou-se a sede residencial da corte portuguesa. No início do século XII, o conde Henrique de Portugal e o bispo Geraldo de Moissac reclamaram a sede do arcebispado de Braga, com poder sobre uma grande área da Península Ibérica. A cidade medieval desenvolveu-se em torno da catedral, com a autoridade máxima da cidade retida pelo arcebispo.com poder sobre uma grande área na Península Ibérica. A cidade medieval desenvolveu-se em torno da catedral, com a autoridade máxima da cidade retida pelo arcebispo.com poder sobre uma grande área na Península Ibérica. A cidade medieval desenvolveu-se em torno da catedral, com a autoridade máxima da cidade retida pelo arcebispo.

Braga no Reino de Portugal

Braga como principal centro do cristianismo na Península Ibérica, durante a Reconquista (até ao surgimento de Santiago de Compostela e, mais tarde, à conquista de Toledo aos muçulmanos, em 1085), teve um palco de destaque na política medieval, sendo um dos principais a Independência de Portugal com a intervenção do Arcebispo D. Paio Mendes no Vaticano, junto do Papa Alexandre III, que levou à promulgação da Bula Manifestis Probatum, em 1179, reconhecendo Portugal como Reino independente sob D. Afonso I Henriques. Os séculos seguintes marcaram um lento declínio em seu prestígio e influência, marcado pelo infame roubo de Santas Relíquias (incluindo as de São Martinho de Dume) pelo então Arcebispo de Santiago de Compostela Gelmirez. As relíquias só voltaram a Braga na década de 1960. No século XVI,devido à sua distância da costa e ao estatuto de província, Braga não beneficiou das aventuras associadas à época dos Descobrimentos Portugueses (que favoreceram cidades como Lisboa, Évora e Coimbra, novas sedes da corte portuguesa). No entanto, o arcebispo Diogo de Sousa, que patrocinou várias melhorias urbanas na cidade, incluindo o alargamento de ruas, a criação de praças públicas e a fundação de hospitais e novas igrejas conseguiu modernizar a comunidade. Ele ampliou e remodelou a catedral, acrescentando uma nova capela no estilo manuelino, e geralmente transformando a cidade medieval em uma cidade renascentista. Um período semelhante de rejuvenescimento ocorreu durante o século XVIII, quando os arcebispos da Casa de Bragança contrataram arquitectos como André Soares e Carlos Amarante, para modernizar e rejuvenescer a cidade;eles iniciaram uma série de transformações arquitetônicas em igrejas e instituições cívicas em estilo barroco, incluindo a câmara municipal, biblioteca pública, o Santuário do Bom Jesus do Monte e muitos palácios urbanos. Em março de 1809 foi palco da Batalha de Braga, quando as tropas francesas sob o comando do marechal Soult tomaram a cidade da sua guarnição portuguesa. Com a invasão das tropas francesas, durante as Guerras Peninsulares a cidade foi relegada, mais uma vez, a um estatuto de província. Mas, já na segunda metade desse século, com a influência dos imigrantes portugueses radicados no Brasil, novas fortunas e gostos resultaram em melhorias na arquitetura e nas infraestruturas.o Santuário do Bom Jesus do Monte e muitos palácios urbanos. Em março de 1809 foi palco da Batalha de Braga, quando as tropas francesas sob o comando do marechal Soult tomaram a cidade da sua guarnição portuguesa. Com a invasão das tropas francesas, durante as Guerras Peninsulares a cidade foi relegada, mais uma vez, a um estatuto de província. Mas, já na segunda metade desse século, com a influência dos imigrantes portugueses radicados no Brasil, novas fortunas e gostos resultaram em melhorias na arquitetura e nas infraestruturas.o Santuário do Bom Jesus do Monte e muitos palácios urbanos. Em março de 1809 foi palco da Batalha de Braga, quando as tropas francesas sob o comando do marechal Soult tomaram a cidade da sua guarnição portuguesa. Com a invasão das tropas francesas, durante as Guerras Peninsulares a cidade foi relegada, mais uma vez, a um estatuto de província. Mas, já na segunda metade desse século, com a influência dos imigrantes portugueses radicados no Brasil, novas fortunas e gostos resultaram em melhorias na arquitetura e nas infraestruturas.com a influência dos imigrantes portugueses radicados no Brasil, novas fortunas e gostos resultaram em melhorias na arquitetura e nas infraestruturas.com a influência dos imigrantes portugueses radicados no Brasil, novas fortunas e gostos resultaram em melhorias na arquitetura e nas infraestruturas.

República

No século XX Braga enfrentou períodos semelhantes de crescimento e declínio;

As pressões demográficas e urbanas, da migração urbano-rural, fizeram com que as infra-estruturas da cidade fossem melhoradas para atender a maiores demandas.

Geografia

Geografia física

Situada no coração do Minho, Braga situa-se numa região de transição entre leste e oeste: entre serras, florestas, grandes vales, planícies e campos, construindo espaços naturais, moldados pela intervenção humana. Geograficamente, com uma área de 184 quilómetros quadrados (71 sq mi), é limitado a norte pelos concelhos de Vila Verde e Amares, a nordeste e leste pela Póvoa de Lanhoso, a sul e sudeste por Guimarães e Vila Nova de Famalicão e a oeste por o concelho de Barcelos. A topografia do concelho caracteriza-se por vales irregulares, intercalados por espaços montanhosos, alimentados por rios que correm em paralelo com os principais rios. A norte é limitado pelo rio Cávado, a sul pelo terreno da Serra dos Picos a uma altura de 566 metros (1,857 pés) e a leste pela Serra dos Carvalhos até uma altura de 479 metros (1.572 pés), abrindo-se aos concelhos de Vila Nova de Famalicão e Barcelos. O território se estende de nordeste a sudoeste, acompanhando os vales dos dois rios, alimentados por muitos de seus afluentes, formando pequenas plataformas entre 20 metros (66 pés) e 570 metros (1.870 pés). O município situa-se entre 20 metros (66 pés) e 572 metros (1.877 pés), com o centro urbanizado localizado a aproximadamente 215 metros (705 pés). A norte, onde o concelho é marcado pelo Cavado, o relevo é semiplanar, a leste montanhoso devido à Serra do Carvalho 479 metros (1.572 pés), Serra dos Picos 566 metros (1.857 pés), Monte do Sameiro 572 metros (1.877 pés) e Monte de Santa Marta 562 metros (1.844 pés).Entre a Serra do Carvalho e a Serra dos Picos encontra-se o Rio Este, formando o vale do Vale d'Este. Da mesma forma, entre a Serra dos Picos e o Monte do Sameiro existe o planalto da Sobreposta-Pedralva. A sul e a poente, o terreno é uma mistura de serras, planaltos e vales de dimensão média, permitindo a passagem do rio Este, e dando origem a outras confluências como o rio Veiga, o rio Labriosca e várias ravinas.

Clima

Braga tem um clima mediterrânico de verão quente semelhante a outras cidades do noroeste da Península Ibérica, exceto por ter temperaturas de verão significativamente mais quentes devido à distância do oceano: o máximo absoluto é até 5 ° C (9 ° F) superior ao vizinha A Coruña ou Santiago de Compostela. As temperaturas mais altas e mais baixas registradas são 42,2 °C (108,0 °F) e -6,3 °C (20,7 °F), respectivamente. O clima é afetado pelo Oceano Atlântico que influencia os ventos de oeste que são canalizados pelos vales da região, transportando grandes massas de ar úmido. Consequentemente, o clima tende a ser agradável com estações claramente definidas. As massas de ar têm o efeito de manter a umidade relativa da manhã em torno de 80%: as temperaturas médias anuais oscilam entre 12,5°C (54,5°F) e 17,5°C (63,5°F). Devido ao resfriamento noturno,a geada geralmente se forma com frequência entre três e quatro meses do ano (cerca de 30 dias de geada anualmente), e anualmente a região recebe 1.449 milímetros (57,0 pol) de precipitação, com a maior intensidade ocorrendo entre o outono/inverno e a primavera.

Geografia Humana

O município é densamente povoado, com aproximadamente 962 habitantes por quilômetro quadrado, o equivalente a 181.474 moradores (2011); é um dos territórios mais populosos de Portugal, bem como um dos mercados "mais jovens". A maior parte da população concentra-se na própria área urbana de Braga, onde as densidades são superiores a 10.000 por quilómetro quadrado. A população bracarense é composta por aproximadamente 78.954 indivíduos do sexo masculino e 85.238 do sexo feminino, sendo 35% da população com menos de 25 anos, enquanto os idosos correspondem a 11% da população; a população ocupada do município ocupa 54% dessa estrutura. Embora em grande parte portugueses nativos, outros segmentos da população incluem brasileiros, africanos (principalmente das antigas colónias portuguesas), chineses e povos da Europa de Leste, nomeadamente ucranianos.A estrutura urbana inclui aproximadamente 70.268 residências (2001), mesmo que a representação clássica típica da família inclua apenas 51.173 membros no município. As casas "extras" são principalmente residências temporárias, normalmente para estudantes, trabalhadores migrantes e profissionais que trabalham na cidade. Há, também, um grande número de casas de propriedade de residentes portugueses que vivem no exterior (que usam as casas periodicamente enquanto em Portugal) mesmo que a constante e o desenvolvimento tenham atraído um novo crescimento da população. Além disso, a diferença da população residente para a transitória significa que, em média, a população de Braga oscila entre 174.000 e 230.000 indivíduos anualmente. O crescimento da população, cerca de 16,2% entre 1991 e 2001, ocorreu principalmente nas como Nogueira (124,6%), Frossos (68,4%),Real (59,8%) e Lamaçães (50,9%).

Paróquias civis

Administrativamente, o concelho está dividido em 37 freguesias: A cidade de Braga propriamente dita inclui apenas as seguintes freguesias urbanas: Não existe governo formal da cidade, apenas autarquia municipal, sendo a administração local assegurada pelas juntas de freguesia ou juntas de freguesia.

Política e governo

Economia

As principais indústrias do município são construção, metalurgia e mecânica, desenvolvimento de software e web design. A indústria de computadores está crescendo rapidamente. A área automóvel tem uma longa história em Braga. A Aptiv opera um centro técnico para o desenvolvimento e produção de sistemas de infoentretenimento automotivo. Esta fábrica era anteriormente propriedade da Grundig. Junto à Aptiv, a Bosch Car Multimedia Portugal, SA opera um centro técnico semelhante, principalmente para ramos de infotainment e sensor. Esta fábrica foi fundada anteriormente pela Blaupunkt. A Bosch trabalha em estreita colaboração com a Universidade do Minho em Portugal desde 2012, produzindo uma das maiores parcerias do país. No processo, muitos projetos para a mobilidade do futuro estão sendo abordados. Em 2018,A chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro português António Costa estiveram no local para o lançamento de um novo campus tecnológico.

Transporte

Embora a região abrigue o seu próprio aeródromo (Aeródromo de Braga) em Palmeira, o principal aeroporto de destaque é o Aeroporto Internacional Sá Carneiro localizado a 50 quilómetros (31 milhas) de distância, no Porto.

O acesso é feito por transporte público ao centro da cidade (cerca de 40 minutos) ou Aerobus (50 minutos).

Braga é servida por ligações ferroviárias regionais e de alta velocidade aos principais centros da região.

Arquitetura

A região de Braga está repleta de monumentos, edifícios e estruturas neolíticas, romanas, medievais e modernistas que atraem turistas.

Embora existam muitos exemplos destas estruturas, apenas as seguintes foram classificadas pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico como Monumentos Nacionais:

Arqueológico

Castro de São Mamede (Castro de Monte Redondo/Castro Monte Cossourado/Castro de São Mamede) Marcos miliários romanos, vários marcos graníticos da época romana atualmente expostos no Museu D. Diogo de Sousa, datados de 41 a 238 d.C., ou seja, os reinados do imperador Cláudio a Maximino II.

Termas Romanas de Maximino (Português: Termas romanas de Maximinos/Alto da Cividade/Colina dos Maximinos), descobertas no século XX, as termas ocupam 800 metros quadrados (8.600 pés quadrados), na freguesia da Cividade, e foram construídas em do 1º ao final do 3º século;

Cívico

Arco da Porta Nova/Rua de Souto (Arco da Porta Nova/Arco da Rua do Souto), um arco barroco e neoclássico, projetado por André Soares no final do século XVIII, e que decora o portão ocidental de uma muralha medieval. Foi inaugurado em 1512 e desde então tem sido tradicionalmente usado para apresentar para promover a visitantes dignitários e celebridades. Palácio dos Falcões (Português: Palácio dos Falcões/Governo Civil de Braga), um palácio da época barroca originalmente encomendado por Francisco de Meira Carrilho em 23 de julho de 1703, e posteriormente, após sucessivas reformas, utilizado pela residência do Governador Civil; Fonte do Ídolo, fonte romana do século I dedicada a um deus indígena, localizada na freguesia central de São José de São Lázaro; Fonte das Águas Férreas (Português: Fonte das Águas Férreas),na sequência da descoberta, em Julho de 1173, de nascentes férreas na freguesia de Fraião, D. Gaspar de Bragança ordenou à Câmara Municipal que iniciasse a canalização destas águas para uso público, dando origem a uma série de fontes, como a principal decorada barroca fonte; Hospital de São Marcos (português: Hospital de São Marcos), com uma fachada comparável a qualquer monumento religioso da cidade, o Hospital de São Marcos, é um exemplo do complexo estilo barroco de Carlos Amarante, com campanário duplo ornamentado e acentos; Pelourinho de Braga (Português: Pelourinho de Braga), o pelourinho do século XV, que marca a autoridade municipal para a cidade, foi construído, demolido e movido várias vezes, antes de ser realocado nos terrenos da Sé Catedral; Palácio do Raio (Português: Palácio de Raio),uma residência urbana barroco-rococó do século XVIII, com fachada de azulejo azul ricamente decorada de André Soares; Residência dos Crivos (Português: Casas das Gelosias/Casa dos Crivos), uma loja-residência renascentista construída fora das antigas muralhas características da arquitetura tardo-renascentista e um dos poucos exemplos de um edifício coberto com fachada de treliça de madeira desta período. Aqueduto das Sete Fontes (Português: Sete Fontes), uma complexa rede de aquedutos que fornecia água potável aos cidadãos de Braga; Theatro Circo (Português: Teatro Circo de Braga), teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitetura, tanto pelos filmes, peças de teatro e performances; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)Residência dos Crivos (Português: Casas das Gelosias/Casa dos Crivos), uma loja-residência renascentista construída fora das antigas muralhas características da arquitetura tardo-renascentista e um dos poucos exemplos de um edifício coberto com fachada de treliça de madeira desta período. Aqueduto das Sete Fontes (Português: Sete Fontes), uma complexa rede de aquedutos que fornecia água potável aos cidadãos de Braga; Theatro Circo (Português: Teatro Circo de Braga), teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitetura, tanto pelos filmes, peças de teatro e performances; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)Residência dos Crivos (Português: Casas das Gelosias/Casa dos Crivos), uma loja-residência renascentista construída fora das antigas muralhas características da arquitetura tardo-renascentista e um dos poucos exemplos de um edifício coberto com fachada de treliça de madeira desta período. Aqueduto das Sete Fontes (Português: Sete Fontes), uma complexa rede de aquedutos que fornecia água potável aos cidadãos de Braga; Theatro Circo (Português: Teatro Circo de Braga), teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitetura, tanto pelos filmes, peças de teatro e performances; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)uma loja-residência da época renascentista construída fora das antigas muralhas características da arquitetura tardo-renascentista e um dos poucos exemplos de um edifício coberto com fachada de treliça de madeira desse período. Aqueduto das Sete Fontes (Português: Sete Fontes), uma complexa rede de aquedutos que fornecia água potável aos cidadãos de Braga; Theatro Circo (Português: Teatro Circo de Braga), teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitetura, tanto pelos filmes, peças de teatro e performances; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)uma loja-residência da época renascentista construída fora das antigas muralhas características da arquitetura tardo-renascentista e um dos poucos exemplos de um edifício coberto com fachada de treliça de madeira desse período. Aqueduto das Sete Fontes (Português: Sete Fontes), uma complexa rede de aquedutos que fornecia água potável aos cidadãos de Braga; Theatro Circo (Português: Teatro Circo de Braga), teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitetura, tanto pelos filmes, peças de teatro e performances; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)Teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitectura, tanto pelos filmes, peças de teatro e espectáculos; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)Teatro revivalista do século XX, conhecido pela sua arquitectura, tanto pelos filmes, peças de teatro e espectáculos; Ponte do Prado (Ponte do Prado) Ponte do Prozelo (Ponte de Prozelo/Ponte do Porto)

Militares

Torre de Santiago (português: Torre de Santiago e troço das antigas muralhas de Braga), parte das antigas muralhas de Braga, a Torre de Santiago foi projetada pelo mestre barroco português André Soares, com base em uma mistura de elementos góticos, barrocos e rococós ;

Torre do Castelo de Braga (Castelo de Braga), na verdade os vestígios da torre de menagem do castelo, construída durante o reinado de D. D. D. D. D. D. D. Denis, que fazia parte do sistema defensivo da cidade de Braga, e incluía um recinto amuralhado semicircular centrado na Catedral da Sé.

Religioso

Archiepiscopal Palace of Braga (Portuguese: Antigo Paço Arquiepiscopal de Braga), between the 14th–18th centuries, a religious residence, but after the 20th century, the home of the municipal offices, public library and archive; Chapel of the Espírito Santo (Portuguese: Capela do Espírito Santo), an example of mixed styles, the chapel includes elements of Baroque, Neoclassical and Mannerist eras; Chapel of Nossa Senhora da Consolaçã (Portuguese: Capela de Nossa Senhora da Consolação), a simple single-nave chapel constructed in the Baroque-style Chapel of São Bento (Portuguese: Capela de São Bento), constructed in the middle of the 18th century, the chapel was blessed by Archbishop José of Bragança in 1755; Chapel of Senhor do Bom Sucesso (Portuguese: Capela do Senhor do Bom Sucesso), a Baroque and Neoclassical chapel,destaca-se por uma fachada principal, típica de André Soares, mas construída por Carlos Amarante, em início de carreira, que aplicou timidamente elementos decorativos neoclássicos; Capela dos Coimbras (Capela de Nossa Senhora da Conceição/Capela dos Coimbras/Capela do Senhor Morto), capela manuelina, provavelmente da autoria do arquitecto castelhano Filipe Odarte, com esculturas atribuídas a Hodart, altar de João de Ruão e esculturas tumulares posteriores pelo mesmo artista. Igreja de Santa Cruz ( Português : Igreja de Santa Cruz ), e do Hospital da Irmandade da Santa Cruz de Jerusalém ( Português : Irmandade de Santa Cruz de Jerusalém ), construído em 1581, e mais tarde apoiado pelas freiras da Ordem Hospitaleira ; Igreja de Santa Eulália ( Português : Igreja de Santa Eulália ), é uma igreja românica do século 13-14,localizado perto do Bom Jesus do Monte; Igreja de Santa Maria (Português: Igreja Paroquial de Ferreiros/Igreja de Santa Maria), construída em 1560, sob as ordens do Arcebispo Bartolomeu dos Mártires, como igreja da Companhia de Jesus; Igreja Paroquial de Gondizalves/Igreja de Santo André), um exemplo das reformulações da estética modernista de meados do século XX: a igreja do século XVIII foi adaptada e ampliada após a desanexação da paróquia em 1975; Capela de São Frutuoso, também conhecida por Capela de São Frutuoso dos Montélios ou Capela de São Salvador dos Montélios, é uma capela pré-românica, integrada num conjunto de edifícios religiosos que inclui a Igreja Real originalmente construída pelos visigodos no séc. Século VII, em forma de cruz grega.Chapel of São Sebastião das Caravelheiras (Portuguese: Capela de São Sebastião das Caravelheiras) Church of São Martinho (Portuguese: Igreja Matriz de Espinho/Igreja de São Martinho), the Baroque and Classical parochial church of Espinho, known for its ornate façade and belfrey, as well as its Rococo interior; Church of São Miguel de Frossos (Portuguese: Igreja Paroquial de Frossos/Igreja de São Miguel), a 16th-century parochial church in the civil parish of Frossos; Church of São Miguel de Gualtar (Portuguese: Igreja Paroquial de Gualtar/Igreja de São Miguel), part of the intense building period of the 16th–17th century, the parochial church of Gultar was constructed in the 17th century, but later remodelled during the 18th century; Church of São Paio (Portuguese: Igreja Paroquial de Arcos/Igreja de São Paio), located in Arcos,the church is an early 18th-century church (built in 1706); Church of São Paulo (Portuguese: Igreja de São Paulo e Seminário de Santiago), the historical seminary and church of Saint Paul with its contrast between stoic façade and decorated Baroque interior, built in the era of archbishop Bartholomew; Church of São Pedro de Lomar (Portuguese: Igreja de São Pedro de Lomar), remnant of ancient Benedictine monastery of São Pedro in Lomar, the Church of Saint Peter exemplifies a mix of Baroque, Mannerist and Neoclassical architecture; Church of São Pedro de Maximinos (Portuguese: Igreja de São Pedro de Maximinos), known for the missing organ of organist Manuel de Sá Couto; Church of São Tiago (Portuguese: Igreja Paroquial da Cividade/Igreja de São Tiago) Church of São Vicente (Portuguese:Igreja de São Vicente) Convent of Nossa Senhora do Carmo (Portuguese: Convento de Nossa Senhora do Carmo), principally recognizable for its central spire/belfrey, which was designed by João de Moura Coutinho de Almeida e Eça, and constructed in the 17th–18th century; Church of the Misericórdia (Portuguese: Igreja da Misericórdia) Church of the Third Order of St. Francis (Portuguese: Igreja dos Terceiros), the Terceiros began the process of constructing their church in 1685, which they dedicated to Our Lady of Conception (Portuguese: Nossa Senhora da Conceição); Church, Convent and College of the Congregation of São Filipe de Néri (Portuguese: Igreja dos Congregados), attributed to the architect André Soares, for the complex/risky façade of the church and corner convent windows, Monk's chapel (or Chapel of Our Lady of the Appearance),and retable of Our Lady of Pain (Portuguese: Nossa Senhora das Dores) Convent of Nossa Senhora da Conceição (Portuguese: Convento da Nossa Senhora da Conceição), which includes the Chapel of São Domingos, an 18th-century convent, home to the Instituto Monsenhor Ariosa; Convent of Pópulo (Portuguese: Convento do Pópulo), the Mannerist, Baroque, Rococo and Neoclassical austere elements of the convent belying the extravagant interior, that was originally the home to Augustine monks, highlighted by the Baroque façade of the Church of Pópulo (Portuguese: Igreja de Pópulo); Convent of Salvador (Portuguese: Convento do Salvador/Lar Conde de Agrolongo), began with the need to transfer the nuns from the Monastery of Vitorino das Donas in 1528 Convent of São Francisco de Montélios (Portuguese: Convento de São Francisco/Igreja de São Jerónimo de Real),o convento barroco, rococó e neoclássico, com destaque para a imponente fachada de três pisos da Igreja de São Jerónimo; Cruz de Nossa Senhora dos Aflitos (Português: Cruzeiro da Nossa Senhora dos Aflitos), uma cruz barroca sobre uma coluna iônica, com imagem de Cristo em madeira, encimada por uma colunata retangular toscana e telhado; Cruz do Espírito Santo (Português: Cruzeiro do Espírito Santo) Mosteiro de Dumio (Português: Ruínas Arqueológicas de São Martinho de Dume), a antiga sede religiosa fundada por Martinho de Braga no centro provincial de Dume; Mosteiro de Tibães (Português: Mosteiro de Tibães), o mosteiro beneditino dos séculos XVII-XVIII conhecido pela talha dourada ornamentada/artística na sua capela-mor e altares; Santuário do Bom Jesus do Monte (inscrito na Lista do Património Mundial em julho de 2019), construído no Monte Santo,com vista para a expansão urbana de Braga, do século XVIII ao início do século XIX, santuário e igreja neoclássica (precedida por escadaria barroca), é acessível por trilho ou funicular do Bom Jesus (um dos mais antigos da Península Ibérica); Santuário de Nossa Senhora do Sameiro (Português: Santuário de Nossa Senhora do Sameiro), isolado no cume do Monte do Sameiro, a igreja e retiro começou em 1861, da mente do Padre Martinho António Pereira da Silva, que pretendia construir um monumento dedicado a Nossa Senhora da Conceição; Santuário de Santa Maria Madalena (Português: Santuário de Santa Maria Madalena/Santuário da Falperra), localizado no Monte Falperra, a igreja-santuário da época barroca, foi projetado pelo arquiteto local André Soares, incorporando elementos decorativos em uma homenagem a dois campanários a Maria Madalena;Sé Cathedral of Braga (Portuguese: Sé Catedral de Braga) Wayside shrine of São Brás (Portuguese: Alminhas de São Brás), although conjecturally a contemporary monument, the wayside shrine in Ferreiros has the characteristics of many Baroque monuments in Braga; Cross of Campo das Hortas (Cruzeiro do Campo das Hortas) Cross of Santana (Cruzeiro de Santa Ana/Cruzeiro de Santana) Cross of Tibães (Cruzeiro de Tibães)

Museus

Além disso, muitos dos tesouros e artefatos históricos do bairro estão abrigados em vários museus que estão espalhados pela cidade, como: Museu dos Biscainhos (em português: Museu dos Biscainhos), instalado no histórico Palácio dos Biscainhos, o museu expõe uma colecção permanente de arte decorativa, que inclui mobiliário, cerâmica, porcelana europeia e oriental, vidro europeu, relógios europeus e portugueses; Museu do Tesouro da Sé Catedral (Português: Tesouro Museu da Sé Catedral), a coleção varia, mas reúne artefatos do século XVI ao XVIII durante o período de exploração religiosa / cultural, associados à Catedral, incluindo imagens e azulejos; Museu da Imagem (Português: Museu da Imagem), dedicado à fotografia,localizado junto ao Arco da Porta Nova e Castelo de Braga; Museu Medina (em português: Museu Medina), localizado no mesmo prédio do Museu de Pio XII, o acervo abriga 83 pinturas a óleo e 21 desenhos do pintor Henrique Medina; Museu de Nogueira da Silva (Português: Museu Nogeuira da Silva), legado à Universidade do Minho, o acervo inclui artefactos, pinturas, mobiliário e esculturas recolhidos ao longo da vida, como obras de arte renascentistas, móveis do século XVII, cerâmicas e objectos em marfim, prata e arte religiosa; Museu de Pio XII (Português: Museu Pio XII), albergando uma colecção de alfaias paleolíticas, neolíticas e da Idade do Bronze, cerâmica pré-histórica e luso-romana; Museu Dom Diogo de Sousa (Português: Museu D. Diogo de Sousa),seu acervo inclui muitos itens descobertos durante as escavações arqueológicas no município, que se estendem desde o Paleolítico até a Idade Média. Museu dos Instrumentos de Cordas (Português: Museu dos Cordofones), a coleção apresenta instrumentos portugueses desde a Idade Média, incluindo cavaquinhos, guitarras portuguesas, bandolins e banjos, entre outros.

Educação

A cidade é a sede e principal campus da Universidade do Minho, uma universidade pública fundada em 1973. Um campus da mais antiga universidade privada de Portugal, a Universidade Católica Portuguesa, também foi criado em 1967, bem como o Escola Secundária Sá de Miranda (a escola secundária mais antiga de Braga).

No final dos anos 2000, o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia também abriu na cidade o seu centro internacional de investigação.

A Quinta Pedagógica de Braga é uma quinta que lida com animais e agricultura, acolhendo atividades extracurriculares de escolas e visitantes.

Esportes

A equipa de futebol de Braga, Sporting Clube de Braga, foi fundada em 1921 e joga na primeira divisão do futebol português, a Liga NOS, a partir do Estádio Municipal de Braga, esculpido na colina do Monte Castro que domina a cidade. O Braga teve um sucesso considerável nos últimos anos, vencendo a Taca de Portugal (Taça de Portugal) pela segunda vez em 2016 e a terceira em 2021 e chegando à final da Liga Europa em 2011, que perdeu para o também português FC Porto. A Rampa da Falperra, etapa do Campeonato Europeu de Escalada, é realizada todos os anos nos arredores da cidade. O Circuito Vasco Sameiro e adjacente ao Kartódromo Internacional de Braga localizam-se à volta do aeródromo local. A pista de corrida realizou eventos da Taça Europeia de Carros de Turismo em 2009 e 2010, e o KIB realizou etapas do Campeonato do Mundo de Karting.

Cidadãos notáveis

Tempos antigos

Santa Engrácia venerada como virgem mártir e santa, segundo a tradição, foi martirizada com 18 companheiros em 303 d.C. Paulus Orosius (c. 385 – c. 420), historiador e teólogo da diocese de Braga, amigo de Santo Agostinho. São Ovídio (mártir em 135 d.C.) terceiro Bispo de Braga, sepultado na Sé. Martinho de Braga (c. 520–580), bispo de Braga, converteu os suevos ao catolicismo. Henrique, Conde de Portugal (1066–1112) Conde de Portugal 1093-1112, transformou Braga na sua capital Teresa de Leão, Condessa de Portugal (1080–1130) casou-se com o Conde Henrique em 1094 D. Paio Mendes (?–1137) : foi Arcebispo de Braga de 1118-1137 Papa João XXI (c. 1215–1277) Arcebispo de Braga no século XIII, eleito Papa em 1276. Antipapa Gregório VIII (falecido em 1137) Maurice Bourdin (Maurício Burdino), o segundo Arcebispo de Braga Francisco Sanches (c.1550 – c. 1623), nascido judeu sefardita e cristão-novo, médico e filósofo Miguel de Carvalho (1579–1624), missionário católico romano, foi queimado na fogueira no Japão, beatificado em 1867. João Antunes (1643–1712), importante arquiteto creditado por introduzir o estilo barroco em Portugal André Soares (1720–1769) arquiteto, projetou vários edifícios rococós importantes em Braga e no norte de Portugal Carlos Amarante (1748–1815) engenheiro e arquiteto Manuel António Martins (1772–1845) governador colonial do Cabo Verde e Guiné Portuguesa, 1833 a 1835 João Crisóstomo de Amorim Pessoa (1810–1888) Bispo de Santiago de Cabo Verde e arcebispo de Goa e Bragabeatificado em 1867. João Antunes (1643–1712), um importante arquitecto creditado pela introdução do estilo barroco em Portugal André Soares (1720–1769) arquitecto, projetou vários edifícios rococó importantes em Braga e norte de Portugal Carlos Amarante (1748–1815) e engenheiro e arquiteto Manuel António Martins (1772–1845) governador colonial de Cabo Verde e Guiné Portuguesa, 1833 a 1835 João Crisóstomo de Amorim Pessoa (1810–1888) Bispo de Santiago de Cabo Verde e arcebispo de Goa e Bragabeatificado em 1867. João Antunes (1643–1712), um importante arquitecto creditado pela introdução do estilo barroco em Portugal André Soares (1720–1769) arquitecto, projetou vários edifícios rococó importantes em Braga e norte de Portugal Carlos Amarante (1748–1815) e engenheiro e arquiteto Manuel António Martins (1772–1845) governador colonial de Cabo Verde e Guiné Portuguesa, 1833 a 1835 João Crisóstomo de Amorim Pessoa (1810–1888) Bispo de Santiago de Cabo Verde e arcebispo de Goa e Bragadesigned several important Rococo buildings in Braga and northern Portugal Carlos Amarante (1748–1815) an engineer and architect Manuel António Martins (1772–1845) colonial governor of Cape Verde and Portuguese Guinea, 1833 to 1835 João Crisóstomo de Amorim Pessoa (1810–1888) Bishop of Santiago de Cabo Verde and archbishop of Goa and Bragadesigned several important Rococo buildings in Braga and northern Portugal Carlos Amarante (1748–1815) an engineer and architect Manuel António Martins (1772–1845) colonial governor of Cape Verde and Portuguese Guinea, 1833 to 1835 João Crisóstomo de Amorim Pessoa (1810–1888) Bishop of Santiago de Cabo Verde and archbishop of Goa and Braga

tempos mais modernos

Manuel de Oliveira Gomes da Costa (1863-1929) nascido em Lisboa, oficial do exército e político português, décimo Presidente da República Portuguesa e segundo da Ditadura Nacional e liderou o famoso golpe de Estado de 28 de Maio de 1926, estátua em a praça da cidade Domingos Leite Pereira (1882–1956), político português da Primeira República Portuguesa Luís de Almeida Braga (1890–1970) escritor e político português, no movimento do Integralismo Lusitano. António Nogueira da Silva (1901–1972), próspero comerciante, colecionador e filantropo Salgado Zenha (1923–1993), político e advogado de esquerda português. António Variações (1944–1984), compositor e cantor pop inovador Torcato Sepulveda (1951–2008), um influente jornalista português. Marie Myriam (nascida em 1957), cantora francesa de origem portuguesa,vencedor do Festival Eurovisão da Canção de 1977

Relações Internacionais

Braga é geminada com:

Veja também

Festival de Órgão de Braga

Referências

Bibliografia

links externos