VW EA111 (VW EA111)

Article

January 29, 2023

A série de motores EA111 (contrato de desenvolvimento da EA) foi construída em motores em linha de três e quatro cilindros refrigerados a água Chemnitz e Salzgitter do Grupo Volkswagen.

Representava a série de motores dos "pequenos motores em linha" e foi inicialmente utilizado nos modelos VW Polo e Golf entre 1985 e 2015, posteriormente também no Lupo, Touran, Caddy, Scirocco e Passat e desde a década de 1990 também no modelos das marcas do grupo Seat , Škoda e Audi. O espaçamento entre cilindros de 82 mm é característico do EA111.

Descrição

A série EA111 é muito diversificada devido às muitas revisões ao longo do tempo, incluindo a introdução do sistema de injeção com catalisador regulado, mudanças de deslocamento, introdução da tecnologia de quatro válvulas, balancins de rolos, injeção direta de gasolina com carga estratificada, conversão para corrente de distribuição .

A partir de 2005, algumas variantes foram equipadas com supercharger e, a partir de então, a Volkswagen as chamou de TSI.

Esses motores tiveram sérios problemas com a estabilidade da corrente de distribuição.

quatro cilindros

Os motores inicialmente tinham um cilindro de 75 mm, o que resultou em um deslocamento de 1043 ou 1272 cm³, mas este foi aumentado para 76,5 mm a partir de 1992, resultando em um deslocamento de 1390 ou 1598 cm³.

Em 1996 surgiu uma variante com um furo de apenas 67,1 mm, resultando em um deslocamento de 999 cm³.

Em 2009, foi introduzido o 1.2 TSI com furo de 71,0 mm e deslocamento de 1197 cm³.

O representante mais conhecido é provavelmente o 1.4 TSI com deslocamento de 1390 cm³, produzido a partir de 2005.

três cilindros

Esta variante, que foi produzida de 2001 a 2014, é o motor de 1,6 litros reduzido para três cilindros com cilindrada de 1198 cm³.

história

O EA111 surgiu em agosto de 1985 a partir do praticamente idêntico EA801, que apareceu em 1974 no Golf e Scirocco com 1092 cm³ e um ano depois no Polo com 895 cm³.

As duas séries de motores tinham em comum um acionamento por correia dentada, que era tensionado por uma bomba de água montada rotativamente, e o comando de válvulas no cabeçote, que acionava o distribuidor de ignição diretamente.

Enquanto o EA801 ainda tinha um trem de válvulas com balancins e válvulas ajustáveis, o EA111 usava tuchos de caçamba com compensação automática da folga das válvulas.

A partir de 1987 surgiram as primeiras variantes com injeção e carregamento a gasolina, que atingiram uma potência de 85 kW no Polo 1.3 G40.

Em 1990, os sistemas de injeção eletrônica substituíram os carburadores até então comuns.

Em 1992, um ano após o lançamento no mercado do Golf III, um 1,

Motor de 6 litros com 55 kW e diâmetro do cilindro ampliado de 75,0 mm para 76,5 mm.

Esta mudança de design não foi aplicada de forma consistente ao motor menor de 1,4 litro até 1995.

Enquanto isso, havia motores de 1,4 litro com a antiga dimensão de 75,0 mm e motores de 1,3 litro com a nova dimensão de 76,5 mm.

Em 1996, a tecnologia de quatro válvulas foi introduzida no Polo III 1.4 16V com 74 kW.

Nesta variante, a correia dentada foi tensionada usando uma polia tensora em vez de usar uma bomba de água rotativa como era o caso anteriormente.

O motor 1.0 litro com 37 kW também foi apresentado no Polo III.

No final de 1997, com o lançamento no mercado do Golf IV 1.4 com 55 kW e em 1998 com o Polo III 1.6 GTI com 88 kW, foram introduzidos os balancins de rolos.

Um ano depois, o Golf IV 1.6 FSI com 81 kW chegou ao mercado.

Em novembro de 2001, com o lançamento no mercado do Polo IV, surgiram dois motores 1,2 litro de três cilindros, tanto na tecnologia de duas válvulas com 40 kW quanto na tecnologia de quatro válvulas com 47 kW. Em 2003, para o lançamento no mercado do No Touran e no Golf V, o acionamento da árvore de cames da maioria dos motores foi substituído por correias dentadas. e injeção direta de combustível.No final de 2009, o 1.2 TSI com 77 kW apareceu no Polo V e Golf VI, um motor de quatro cilindros com tecnologia de duas válvulas com turbocompressor e injeção direta de combustível.

Em 2010, o Polo também pode ser encomendado como um 1,4 BiFuel com 63 kW com um sistema de GLP como padrão.

A partir de 2011 como 1,6 BiFuel.

De 2010 a 2014, a 1.

EA111 na RDA

Em 1982, Gerhard Beil, então Secretário de Estado do Ministério do Comércio Exterior da RDA, iniciou negociações com Carl H. Hahn, CEO da Volkswagen AG, sobre a licença do EA111, incluindo a instalação completa de produção.

O contrato foi assinado em 1984 e, em 1988, a unidade de produção perto de Chemnitz foi entregue pela VW à IFA.

Para os carros de passeio Wartburg 1.3 e Trabant 1.1 e a van Barkas B 1000-1, foram fabricados motores de quatro cilindros completos a partir de 1988 e, a partir de 1989, motores curtos (motores sem acessórios como coletor de admissão, coletor de escape, distribuidor de ignição, mas com uma cabeça de cilindro) também foram fabricados para a Volkswagen, dentro de cinco anos, 500.000 EA111 devem ser fabricados para a Volkswagen.

As três variantes de motor instaladas na RDA Após a reunificação, a produção continuou em Chemnitz,

37% de todos os VW-EA111 foram fabricados lá, 63% saíram da linha de montagem na fábrica de Salzgitter.

A partir de 1995, essa relação deveria ser revertida.

usar

O EA111 foi usado nos seguintes veículos Volkswagen AG até 2015: Audi: A1, A2 e A3 Seat: Alhambra, Altea, Arosa, Cordoba, Ibiza, Inca, Leon e Toledo Škoda: Fabia, Felicia, Octavia, Rapid, Roomster, Superb II e Yeti VW: Fusca, Bora, Caddy, CC, Eos, Golf, Jetta, New Beetle, Passat, Polo, Scirocco, Sharan, Tiguan, Touran e VentoA potência ficou entre 33 e 136 kW.

Diversos

Em 1984, a VW instalou experimentalmente um motor EA111 de 1,05 litro na traseira de um Fusca para modernizá-lo tecnicamente.

No entanto, não entrou em produção em série;

o veículo está agora em exposição no Volkswagen Automuseum.

Em 2010, soube-se que o EA111 havia sido copiado na China sem licença.

literatura

Andrea Eckardt: Discuta de maneira qualificada, discuta mais, ajude a moldar mais!: 40 anos de luta pelo trabalho na fábrica da Volkswagen em Salzgitter, VSA-Verlag, 2010, ISBN 978-3-8996-5418-9.

Katrin Rohnstock: Meu último dia útil: processado após 89/90.

CVs da Alemanha Oriental, Edição Berolina, 2014, ISBN 978-3-8678-9825-6.

Mark C. Schneider: Volkswagen.

Uma história alemã.

Berlin Verlag, Berlim 2016, ISBN 978-3-8270-1322-4.

(Com notas, bibliografia, crônica e índice de pessoas) Mark C. Schneider: Volkswagen: A German History, eBook-Berlin-Verlag, 2016, ISBN 978-3-8270-7919-0.

Links da Web

itemizações